Era ele, sempre seria!

 [Você pode ler este texto ao som de:]



Naquela noite, eu tive a certeza de que nossos caminhos estariam sempre se cruzando. Involuntariamente, o seu olhar caiu sobre mim, e ele descrevia muito bem toda a situação. Você me olhou como se já soubesse a resposta pra tudo que confundia sua cabeça. Eu abri mais a porta e fiz com que você entrasse com a cabeça, mais ao invés disso, você simplesmente me abraçou e ficou por ali durante minutos. Parecia tão confortável te ter ali, que eu não me pus a sair do lugar. Apenas, o aconcheguei melhor e lhe abracei como alguém que sente saudades a todo minuto. Naquela noite, eu tive a certeza de que o nosso corpo se pertencia muito além do que imaginávamos. Eu sabia que tínhamos algo forte, porque todas às vezes em que você se sentia perdido ou triste, me procurava. Mas dessa vez, você simplesmente me procurou porque a ficha tinha caído pra você, depois de todos esses anos. Você se deu conta que sempre que tudo parecia desmoronar, eu estava ali. Quando você recebeu a tão sonhada promoção no trabalho, eu estava ali. E hoje, não foi diferente. Você se deu conta que eu o coloquei no colo tantas vezes, te dei meu ombro, abraço, beijos, todo o carinho e segurei a barra incontáveis vezes até você se recompor de novo. Quando você não sabia o que fazer da vida, quando você não tinha ninguém pra assistir o futebol de domingo, quando você simplesmente não tinha ninguém, eu estava ali. Nos jantares de família, mesmo sendo sua amiga, eu lhe dava forças para enfrentar sua família tão complicada. E quando nossos amigos perguntavam quando iríamos finalmente nos assumir, namorar, casar e ter filhos, nos olhávamos e caiamos na gargalhada achando aquilo tudo uma viagem da parte deles. E eu amava a sua gargalhada naquela hora, me fazia tão mais viva. E eu, bom, tinha uma enorme vontade de responder que se dependesse de mim, já estaríamos sendo felizes há muito tempo. Que amava ter você na minha cama, no final da noite e que ali, realmente era o seu lugar. E que era ali que você tinha que estar todas as noites. E quando você simplesmente me olhava com uma expressão de preciso fugir daqui, na hora de ir embora, no final do dia, aquilo me partia o coração. Eu não acreditava que você estava fazendo aquilo com a gente, eu não aguentava mais estar com alguém que era mais corpo do que alma. E foi nessa hora que eu mais queria desistir, mas sabia que no fundo, nunca conseguiria me desvincular de você. Então, eu apenas sempre estava ali. Eu me lembro de todos os dias em que o desespero me rondava, por não saber mais o que fazer com toda aquela situação. E depois de tanto lutar, eu desisti. Juntei minhas coisas que estavam na sua casa e fui embora. E foi ali, enquanto eu ia embora, que eu mais queria que você me pedisse pra ficar. Mas não foi isso que aconteceu, dias se passaram e eu não tinha mais noticias de você. Então, quando menos esperei, naquela noite você apareceu na minha casa. Se dando conta de que não aguentaria me perder e sussurrando em meu ouvido, que tudo que mais queria era voltar pros meus braços, que ficaria tudo bem e que lutaria por nós. E foi naquele momento, que eu vi, jamais me separaria de você. Uma lágrima caiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Não esqueça de deixar um comentário bem caprichado sobre o post viu? :)