Web Capitulo Único


Se Eu For... É Para Sempre!


Autora: Jamille Sousa (Milly)
Gênero: Sem final feliz (Talvez)
Classificação: Nada que já não tenham lido.
Principais: Lua Blanco e Arthur Aguiar.




Ah’ se tudo fosse como nos sonhos...

-Hey! –Arthur acenou ao me ver passar.
-Oi... –Respondi calmamente. Ainda não falei que eu e o Arthur éramos amigos... E agora a gente somos namorados, sim ele me pediu em namoro no dia do meu aniversário. Sem duvidas nenhuma eu posso falar que esse foi o meu melhor presente. Ele era e é o meu melhor presente.
-Por que você ta... –Ele parou um pouco.
-Calma? –Sugeri.
-Estranha... –Ele disse.
-Eu to normal... Só com um pouco de dor de cabeça! –Respondi fazendo careta e ele sorriu.
-Vem, eu te levo pra casa... –Ele disse me abraçando de lado. Atravessamos a rua e entramos no carro que estava estacionado logo ali.
Eu tinha 20 anos e Arthur tinha 21, a gente se conheceu na praia, temos amigos em comum, já nos conhecemos a 3 anos e estamos namorando a 1 ano e meio, ele foi meu primeiro namorado. Ele tem uma banda, e eu nem sabia que minha melhor amiga conhecia integrantes dessa banda, Sophia é louquinha, a gente mora aqui em Londres desde os 15 anos... Não foi tão fácil assim convencer nossos pais. Minha mãe e a mãe dela passaram 10 meses aqui com a gente, demorou uns 3 meses até a gente se adaptar aqui. Moramos em um apartamento e até os 18 anos fomos sustentadas pelos nossos pais, eles mandavam uma boa quantia em dinheiro, agora tanto eu quanto Soph conseguimos um estagio... Mas, mesmo assim nossos pais ainda mandam dinheiro. Trabalho num escritório 6 horas diárias e Soph trabalha num ateliê e também trabalha 6 horas diárias, ela estuda moda. Confesso que namorar um famoso não é tão legal assim, minha cabeça dói só de pensar e eu me irrito rapidinho só de pensar naquelas menininhas escandalosas correndo atrás dele. E por isso a gente já brigou muito... Eu morro de ciúmes dele. E não consigo me controlar... Só que antes de eu amar ele... Eu me amo! E eu sei que entre eu, a banda e os amigos dele... Ele escolheria as duas ultimas opções, por mais que ele me ame... Eu não sou forte o suficiente para competir com esses dois. E vou confessar... O que ainda me prende aqui... É ele, apenas Arthur Aguiar. Eu já conversei com Sophia um tempo atrás... Duas semanas exatamente, e ela concordou em ir embora, basta um sinal meu, ela não tem nada que aprenda aqui... Não mais.

-Chegamos! –Arthur me despertou de meus pensamentos.
-Uhum... –Sussurrei. –Tchau!
-Não vai me convidar pra entrar? –Ele disse segurando o meu rosto, antes de encostar nossos lábios.
-Hoje eu não vou ser uma boa companhia... Eu posso garantir! –Falei sincera, estava quase saindo correndo daquele carro, mais 10min ali eu era capaz de gritar de raiva e ódio. Não me perguntem o por quê?
-Duvido! –Ele respondeu calmamente... Talvez ele não tivesse culpa. Mas, eu sabia que tinha.
-Sem insistências? –Perguntei.
-Ah’ Luh, eu passei duas semanas viajando, to com saudades da minha namorada! –Ele disse me abraçando, e aquele perfume levou pra longe todos os meus pensamentos, era incrível o jeito que ele me dominava. Acabamos nos beijando e aquele carro já estava ficando apertado, o jeito era a gente subir mesmo, Sophia não estava em casa. Melhor assim!
-Vamos subir? –Perguntei ofegante, aquilo estava acabando comigo.
-Eu... Acho melhor mesmo... –Ele estava tão ofegante quanto eu.

Tudo é um sonho... Apenas um sonho real...

Nossas roupas ficaram no caminho, agradeci mentalmente Soph não esta em casa, ela me xingaria de todos os nomes possíveis e impossíveis de se imaginar... Depois de tudo que aconteceu. Até eu me xingaria por te sido tão fraca... Por ser tão fraca quando o assunto é Arthur... Eu nunca consigo dizer não... Mesmo depois de tudo. Chegamos ao meu quarto, Arthur abriu a porta e eu dei um leve empurrãozinho que a mesma se fechou rapidamente. Ele me deitou na cama delicadamente, passando a mão por cada parte do meu corpo, o que me fazia arrepiar e gemer baixinho. As ultimas peças de roupas que ainda estávamos usando foram parar longe. A cada toque que meu corpo recebia, era como se eu estivesse tomando choque. Leves mordidas e chupões que eu sabia que iriam ficar ali por pelo menos uma semana, suas mãos apertavam minha coxa. E... Sem mais detalhes... Aquela tarde foi única!

-Luh? –Arthur me chamou. Acho que resmunguei alguma coisa, não tenho certeza já que nem eu ouvi minha própria voz. –Acorda dorminhoca... –Ele brincou, pressionando meu corpo de leve contra o dele.
-Me deixa... Por favor! –Pedi quase implorando.
-Luh, já são sete horas e a gente ta nesse quarto desde as três, a maior parte do tempo acordados é claro! –Ele me deu um selinho.
-Se eu te pedir pra ir embora você vai ficar com raiva? Perguntei de olhos fechados.
-Eu... Eu vou achar estranho... Você ta estranha desde que eu cheguei de viagem! –Ele disse com um olhar perdido e eu o encarei com toda vontade do mundo de jogar tudo na cara dele... Ah’ esqueci que eu ainda amava aquele idiota!
-Eu já disse que to bem...
-Eu te conheço há três anos, eu sei que você não sabe mentir, esqueceu que eu sei decifrar todos os seus sorrisos e gestos? –Ele perguntou me encarando. –Você tem um sorriso confuso, um super feliz, um alegre, um falso, um irônico, um forçado, um normal e a sua gargalhada aquela que você só da quando algo te deixa feliz de verdade... Quando você ta nervosa, você encara o nada... Como agora! Encara o chão, mexe no cabelo, quando alguém te elogia, você fica vermelha e com vontade de se enfiar em um buraco, você já me disse isso... E quando alguém te olha muito você pergunta o que foi... Você não suporta que te encarem... É eu sei muito sobre você! –Ele disse levantando da cama.
-Não... Você não sabe!
-Tudo bem... Depois a gente conversa. –Ele disse saindo apenas de cueca box, nossas roupas tinham ficado na sala e a essa hora Soph já tinha chegado.

Talvez não fosse um sonho... Fosse só um pesadelo que você quisesse acordar...

-Posso entrar? –Sophia perguntou abrindo um pouco a porta, ela estava com um meio sorriso, fazia exatamente meia hora que Arthur tinha saído, eu até achei que ela demorou muito pra vim me xingar.
-Claro...
-Não precisa explicar o que aconteceu... Da pra imaginar pelo seu estado... E o estado da cama... Das roupas no sofá, no chão da sala... Na escada... –Ela disse rindo, e eu dei um sorriso normal.
-Ta sua chata! –Dei língua e ela me deu um tapa.
-Luh, eu não quero ser chata... Mas, e tudo que a gente falou quando os meninos estavam viajando? Você esqueceu?
-Claro que não Soph... Eu só não conseguir dizer não... Mais uma vez! –Eu disse com um olhar baixo. –A gente vai voltar pro Brasil! –Eu disse por fim.
-Vem eu fiz um jantar... Vou te esperar... Não demora! –Ela saiu do quarto e eu fui tomar banho, era o que eu mais precisava no momento.

No outro dia, pela manhã

-Aonde você vai? –Sophia perguntou quando me avistou saindo de casa toda arrumada.
-Falar com o Arthur... Já liguei pra ele!
-Uhm... Boa Sorte então!
-Obrigada... Eu vou precisar!

Você acordou... E agora era o pesadelo dele que iria começar...

-Você demorou... Já ia te ligar! Tenho uma surpresa pra você! –Ele disse sorrindo e depois me deu um beijo.
-Eu também tenho uma surpresa pra você! –Sorri.
-Nossa... Esse seu sorrisinho irônico me mete medo às vezes. –Ele fez um gesto como se estivesse tremendo e eu fiz careta.
-Er... Vou começar... –Eu disse sentando. –E eu quero que você me fale a verdade... E por favor, não me interrompi, Arthur na noite que eu te liguei antes de você viajar com a banda você me disse que estava em casa... Certo? –Perguntei sugestiva e levantei uma sobrancelha.
-Si... Sim, eu estava! –Ele disse surpreso e confuso... Medo talvez.
-Mas, você não estava... E eu la uma idiota achando que você estava descansando porque ia viajar no outro dia, e eu me ofereci pra ir dormi com você e você disse que estava muito cansado e veio com uma desculpa esfarrapada de que eu ia ter que acordar cedo porque, você iria viajar as cinco e meia da manhã e eu iria ficar mal-humorada porque eu odeio acordar cedo! –Nessa hora eu já gritava, toda a minha calma tinha ido pro espaço... Ou pra um lugar mais longe ainda.
-E quem disse que eu não estava em casa?
-Meu Deus... Como você é cara de pau Arthur, pelo menos uma vez na vida admita que você ta mentindo, quantas vezes você já me fez de idiota? Vai me fala? Como eu me enganei como você... COMO EU FUI BURRA!
-Eu...
-Ta aqui... Um dia antes de você viajar... À noite, numa boate... Não Lua eu estava em casa! PARA DE MENTIR!


FLASH ON

-Luh, uma carta pra você! –Soph gritou.
-De quem?
-Não sei... –Soph disse virando a carta. –Não tem remetente! –Ela disse me entregando.
Fiquei até assustada, parecia aquelas cartas de filme, seu nome vinha escrito com recorte de jornal, fiquei com medo e até hesitei em abrir, Sophia tava mais curiosa que eu, ela mesma puxou a carta da minha mão e abriu, preferia ter deixado como estava, sabe quando você vê o seu mundo desmoronando? Pois é, aquela carta tinha esse poder. Dentro dela tinha varias fotos de Arthur com uma morena se pegando, e as fotos estavam todas com data e hora, era dia 20 de outubro, às 23h30min. Sim ele tinha mentido pra mim, ele passou a noite toda na farra e eu aqui preocupada com ele, de repente tudo foi se encaixando, a morena era a mesma que fazia a gente brigar, ela tava sempre rondando ele, claro sua idiota, ela é amante dele, nossa como eu fui tão burra, acreditava em tudo o que ele falava... E fingia não ver as fotos e flagras... Que raiva de mim. Ele sempre colocava a culpa na imprensa por inventar as coisas e eu sempre acreditava. Quantas vezes depois de dormi comigo ele foi dormi com ela? Na cama dele... Onde eu também dormia?

FLASH OF


-Ta aqui... Agora diz que é mentira? Fala que você estava dormindo? FALA! –Eu gritei.
-Eu... Desculpa! –Ele disse e uma lagrima caiu sobre a foto, mas, nada disso me comoveu. –Se você sabia por quê não falou nada ontem?
-Porque eu queria que você falasse pra mim... Mas, parece que pra você nada aconteceu!
-E foi nada mesmo... Foi coisa de momento... Os meninos me convidaram e eu fui, eu não sabia que ela ia ta la... Eu sei que você a odeia Luh!
-Haha’há... Se sabe por quê fez isso? –Eu ri sarcástica.
-Eu estava bêbado... Eu nem me lembro!
-É fácil colocar a culpa na bebida... Eu não vou ficar aqui chorando por você... Porque eu fiz isso durante duas semanas... E ontem também, meu estoque de lagrimas acabou... E eu cansei, sabe, eu conversei com a Soph e a gente ta voltando pro Brasil, de onde a gente nunca deveria ter saído. –Disse me levantando e enxugando algumas lagrimas insistentes que queriam cair.
-Eu ia te pedir em casamento... –Ele disse do nada, tirando a caixinha do bolso. Então essa era a tal surpresa?
-Ainda bem que eu não fiz a burrada de aceitar... E nem você perdeu seu tempo mentindo mais vez... Ta vendo? Tirei um peso da sua costa, você não precisa mais de mim...
-Se você for... Não volte mais!
-Se eu for... É para sempre!
-Você nunca vai me esquecer, você nunca vai deixar de me amar... Você nunca vai deixar de sentir minha falta e saudades minha... Sempre alguém vai fazer você lembrar de mim... Mesmo que você não queira! –Ele falava, com ódio, raiva e dor... Arrependimento talvez!
-Você também vai sentir tudo isso... Só que vai ser pior... Foi você o culpado de tudo ter acabado, foi tudo culpa sua!

Você ainda tinha esperanças... Que ele viesse e te impedisse de ir embora...


AEROPORTO


Eu olhava pra aquela entrada de 1 em 1 segundo, esperando acontecer igual nos filmes, ele aparecer correndo e me pedindo desculpas e até mesmo um perdão e me pedindo pra ficar, que tudo ia ser diferente... Mas, à hora do embarque chegou e ele não veio... Não aconteceu igual nos filmes... Que droga! Ele nem tentou...
-Ele não vem... E isso aqui é vida real amiga! –Soph me despertou de meu pequeno transe.
-Er... Eu sei! –Suspirei. Entramos na fila e mais uma vez eu olhei para trás, jurando ter ouvido a voz dele... Mas, não era, era coisa da minha cabeça.
-Ele não veio... E nem vem mais! –Sophia outra vez pareceu adivinhar meu pensamento.

Não era ele... Era só alguém que ia te impedir de esquecê-lo.


CHEGAMOS AO BRASIL – TRÊS MESES DEPOIS!


-Se você tiver grávida eu te mato! –Soph me ameaçou.
Er... Ele tinha razão... Mesmo que eu não quisesse lembrar dele, alguém sempre iria fazer com que isso acontecesse “Sempre alguém vai fazer você lembrar de mim... Mesmo que você não queira!” e essa frase se instalou automaticamente em minha cabeça. Er... Ele adivinhou. –Eu to Soph... E é um menino!


FIM!


(N/A: Oi pra quem leu, haha’ha Espero que tenham gostado COMENTEM é muito importante cada Comentário). Beijos da Milly (* ; *)


Meee que final hein ... Parabéns Milly muita fodinha !!

17 comentários:

  1. maissssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Vai ter uma continuação né? Pleaseeeeee

    ResponderExcluir
  3. continuaçao pfvr!

    ResponderExcluir
  4. continuaaaaaaaaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  5. maissssss pelo amor de deus

    ResponderExcluir
  6. por favor vai maisssss

    ResponderExcluir
  7. se nao tiver continuçao eu vou ter infarto

    ResponderExcluir
  8. Ameeeeeeeeiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Posta a Continuação pfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpf

    ResponderExcluir
  9. Aaaaaa lindo, perfeito, maravilhoso... Milly quero continuação por favor

    (Fer)

    ResponderExcluir
  10. há é lindo mas faz a continuação pfvr

    ResponderExcluir
  11. Jamille Sousa (Milly)24 dezembro, 2013

    Sério que merece uma continuação? Haha'ha Obrigado pelos comentários e pelos elogios. Quem sabe eu faço mais um cap. a continuação final. Beeeijos! Fee, Obrigado por postar...

    ResponderExcluir
  12. QUERO CONTINUAÇAAOOOOOOOOO!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Continuacao ne obviu ?

    ResponderExcluir
  14. faz continuação pf
    ameeeeeeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir
  15. perfeito
    posta maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais

    Ana

    ResponderExcluir
  16. lindo demais, quero muito continuação
    ass Sofia

    ResponderExcluir

Olá! Não esqueça de deixar um comentário bem caprichado sobre o post viu? :)